Leia mais: http://www.mundodarkness.com/2010/07/codigos-bloquear-conteudo-no-blog.html#ixzz0xHGCB0DY
"Analisa bem quem é teu amigo, porque se o consideras como tal e ele não o for, pode muito bem ser o teu principal inimigo"

Anónimo
_____________________________________________

Adoptar um lobo

É uma óptima sugestão para o Natal que se aproxima...


Para rir

Porque achei engraçada, partilho aqui esta mini-história com todos; a culpa foi da Ana, que me enviou por e-mail.
_____________________
Um homem entra num hipermercado e percorre todos os corredores de uma ponta a outra. A empregada repara nele e pergunta-lhe se precisa de ajuda.
Ele responde que está à procura de uma caixa de tampões para a esposa e ela direcciona-o para o corredor correcto.
Uns minutos mais tarde, ele deposita no balcão um ENORME saco de algodão e um rolo de cordel.
Ela, confusa diz:
'Senhor, eu pensei que estava à procura de tampões para a sua mulher?'
Ele responde: 'Sabe, isto é assim..., ontem, eu mandei a minha mulher comprar-me um maço de cigarros, e ela voltou com um pacote de tabaco de enrolar, só porque era MMMUUUUIIIIITTTOOO mais barato! Então, eu pensei: Se eu tive que fazer o meu cigarro... ela também.'

Linda

É a música do momento.





Acho maravilhosa esta música e, parafraseando o que alguém escreveu no YouTube: "Putain de Chanson..."
Mas, mesmo assim, não consigo deixar de ouvir o CD do projecto "Amália Hoje"; são divinais todas as faixas.

Insónia

Já passa das 2 da manhã e eu não consigo dormir. Lá fora está a chover e na televisão, a mesma porcaria de sempre. Não consigo dormir, não me apetece continuar a escrever o livro que há dois anos não me sai da cabeça.
Falta-me inspiração, falta-me tempo, falta-me disposição.
Quem sabe se, depois do Natal ou quando acabar de remodelar a minha sala, a vontade não volta e vejo, finalmente, a minha obra acabada. É uma linda história; uma história de amor, como tantas que por aí há e que têm os seus altos e baixos.
Mas enquanto o sono não me procura, aqui estou eu, a escrever o que me vai na alma. Já decidimos a cor a usar e o papel de parede a colocar: caríssimo!! Nunca pensei que um simples rolo de papel pudesse custar tanto dinheiro, mas acho que vai valer a pena.
A disposição dos móveis já está decidida e o resultado final vai ficar bonito. Aja também vontade de arregaçar as mangas e deitar mãos à obra que tudo se resolve em menos de nada.
Enquanto o sono não chega, que hei-de eu fazer senão pensar? Daqui a pouco vou ter que me levantar para mais um dia de trabalho... o inferno do trânsito e do pára-arranca; os mal dispostos e os mal educados com quem vou ter que lidar com um sorriso de orelha a orelha.
Credo!!
E enquanto o sono não se acerca de mim, vou tentando pensar em outras coisas; a boa notícia que a minha tia Mindinha me deu; as más que ainda persistem ao redor da minha tia Teresa (para mim, Teresinha); esta tosse que já dá cabo de mim (é mais pelos cigarros do que pela gripe); a provável vinda do Rafael neste Natal...
Será que é de tanto pensar que o sono bate a outras portas e não à nossa? Já pensei em tomar um Xanax, mas certamente que não iria acordar ao som do estridente despertador quando faltarem 15 minutos para as 8, mas acreditem que a tentação é grande... Já pensei em ir forrar o estômago com qualquer coisa, mas por agora acendo mais um cigarro.
Amanhã logo se verá e por agora vou mesmo para a cama. Vou passar ainda pela cozinha, antes de dar mais umas voltas na cama e pensar um pouco mais.
Mas pensar em quê?
Ah, já sei...
Sonhos felizes para todos, porque amanhã é outro dia!!

O mais sincero beijo

Recebi da minha amiga Márcia, a quem agradeço.
Esta foto mostra uma cadela Dobermann lambendo um bombeiro exausto.   
Ele tinha acabado de salvá-la de um incêndio em sua casa, resgatando-a e levando-a para o relvado da frente. Depois, tinha continuado a combater o incêndio.
Ela estava prenha. 

O bombeiro teve medo dela no início, pois nunca antes ele tinha resgatado um Dobermann. Quando finalmente o fogo foi extinto, o bombeiro sentou-se na relva para recuperar o fôlego e descansar.
Um fotógrafo do jornal 'The Observer' notou a Dobermann olhando para o bombeiro. Ele a viu andar na direcção dele e perguntou o que a cadela iria fazer. Enquanto o fotógrafo levantava a máquina, ela se aproximou do bombeiro que tinha salvo a sua vida e as dos seus filhotes e beijou-o...






Moral da história: "Quando o homem aprender a respeitar até o menor ser da Criação, seja animal ou vegetal, ninguém precisará ensiná-lo a amar o seu semelhante."

Saudade

Desde que me tenho por gente, que sinto em mim o gosto pela literatura. Adoro ler e escrever, revolto-me com os atropelos gramaticais que grassam por esse Portugal fora e sou incapaz de tratar mal a nossa língua.
Quem sabe, esse gosto não o adquiri pela mão da minha tia preferida: chama-se Almerinda Pinto, Mindinha, como carinhosamente sempre a tratámos.
Nos idos anos 80 do século que não deixou saudades, eis que ela editou, com a ajuda de um amigo que o dactilografou, o seu primeiro livro de poesia.



Na altura do lançamento, "Realidade" custava a módica quantia de 250$00, acrescido de 50$00 para despesas de envio.
Não me quero aqui pronunciar sobre o valor exorbitante que os livros, nos dias de hoje, já atingiram, mas sim, o alcance de um sonho, inatingível para muitos.
Com muito esforço, a minha tia Mindinha, acabou por trazer ao de cima esta sua vontade em se afirmar e em partilhar com outros os seus mais pequenos segredos. Tudo isto lhe saiu do bolso, dado que não teve ajudas de ninguém, nem tão pouco uma editora que publicasse este seu livro.
Com simples textos que retratavam a sua dor, a sua mágoa, enfim, a sua "Realidade", este é um livro que sempre esteve presente na minha biblioteca pessoal.
Há cerca de três anos, fui dar com uma caixa amarelada, em casa do meu avô, contendo alguns exemplares. Uns mais amarelos do que outros, porque o tempo e o pó não perdoaram, trouxe-os comigo. Hoje, tenho ainda 15 exemplares e a minha maior glória é ter oferecido um exemplar a duas amigas no Natal passado. Este ano, vou oferecer mais dois neste Natal que se aproxima.
O livro começa com o seguinte poema:


Saudade


Saudade!
Saudade palavra triste,
Triste se apoderou de mim...
Desde o momento que partiste,
Os dias não têm fim.


Como poderia sonhar,
Sonhar antes de partir.
Que tão longe ia estar,
E tanto tempo sem sair.


Os dias conto sem parar
Até ao dia que vou voltar.
Esse dia tanto demora,
E eu não suporto mais uma hora.


Só te queria abraçar!
Abraçar-te para sempre
E baixinho suspirar:
Mãe, tu és minha, para sempre.


Para a mais querida e adorada tia do mundo, um beijinho enorme deste teu sobrinho mais velho!!

Limpar Portugal

O Movimento Limpar Portugal é um movimento cívico cujo objectivo é promover a educação ambiental por intermédio da iniciativa de limpar a floresta portuguesa no próximo dia 20 de Março de 2010.
Recebi o convite por e-mail através de um amigo e já aderi a este movimento.
Vamos todos limpar as nossas florestas e o nosso país! Para isso basta clicarem aqui ou aceder ao gadget na barra lateral direita.

Ruivos na Net

Para quem ainda não conhece o novo anúncio da Vodafone, pode vê-lo aqui:


Como ruivo que sou (e não sou daqueles postiços que pinta o cabelo), fiquei contente porque alguém se lembrou de divulgar esta nossa característica capilar. Quanto ao endereço divulgado, "Ruivos na Net", confesso que a ideia não seria má de todo; depois acabavam por aparecer os loiros na net, os morenos na net,…
Pode ser que alguém tome a iniciativa.

On line

Visitantes

Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!

Vieram cá parar...

Blog protegido anti-cópia

Protected by Copyscape plagiarism checker - duplicate content and unique article detection software.

Direitos de Autor

Estão proibidas quaisquer cópias e/ou utilização de texto e imagens sem prévia autorização do Autor. Para o contactar, utilize, por favor, o respectivo formulário, disponível neste sítio.
Ocorreu um erro neste dispositivo

Top Comentários

Pensamento

Ninguém é pobre, senão de Espírito...

  ©Template by Dicas Blogger. Modificada e adaptada por Joel Pinto

TOPO